sexta-feira, 24 de agosto de 2012

O Princípio do Branding: O DNA das Marcas


Passeando pela internet achei este texto muito interessante. Vale a pena ler e os créditos estão no final da postagem.

________________________________________

Como as pessoas se relacionam com as marcas

09 de agosto de 2011, 23:47
As grandes marcas não dizem algo, elas mostram esse algo na prática e deixam os próprios consumidores tirarem suas conclusões do que representam.
Essa é uma dúvida que já deve ter passado pelo menos uma vez na cabeça de qualquer pessoa ligada à comunicação. Dentre todas as respostas encontradas, quais delas realmente fazem sentido para você?
Uma das respostas que mais me agrada pode vir da antropologia – através de um conceito denominado totemismo. Ele diz o seguinte: antigamente, quando as sociedades ainda eram formadas por um sistema de tribos, as pessoas se diferenciavam uma das outras utilizando animais para se representarem.
Dessa forma, acabavam se apropriando de certas características desses animais, como por exemplo: a tribo representada pelo urso é a que possui os homens mais fortes, a representada pela águia os mais inteligentes, a da onça os mais ágeis e assim por diante.
Hoje em dia, uma das maneiras que esse papel acaba sendo exercido é através das marcas. Um produto (algo não-humano, assim como os animais), passa por uma espécie de “batismo” (espaço explorado pela publicidade), onde recebe algumas características. Essas características, por sua vez, são repassadas para as pessoas que consomem estes produtos.
Dessa forma, quando as pessoas consomem, elas não querem somente comer, vestir ou usar. Elas querem mostrar para todos que comem, vestem e usam este ou aquele produto. Elas querem se sentir representadas naquilo.
Nesse sistema, o papel da publicidade (além do “batismo” já mencionado), é realçar as características do produto, de maneira que mais pessoas queiram fazer parte desta “tribo”.
Se uma marca já pensa neste sentido, está num bom caminho. Mas vale lembrar que ela pode chegar ainda mais longe. Para isso é necessária uma mudança de ótica – falando menos e fazendo mais.
As grandes marcas de hoje não são aquelas que dizem que são algo, mas aquelas que mostram esse algo na prática e deixam os próprios consumidores tirarem suas conclusões do que elas representam. [Webinsider]

sexta-feira, 11 de maio de 2012

FAXINA, Martha Medeiros

Recebi em um e-mail de uma grande amiga, talvez a pessoa que mais saiba amar de verdade, e com intensidade; e quero compartilhar...com meus leitores de sempre.
Quem sabe não chegou nossa hora de fazer a nossa faxina?

Estava precisando fazer uma faxina em mim...
Jogar fora alguns pensamentos indesejados, tirar o pó de uns sonhos, lavar alguns desejos que estavam enferrujando.....
Tirei do fundo das gavetas lembranças que não uso e não quero mais.
Joguei fora ilusões, papéis de presente que nunca usei, sorrisos que nunca darei...
Joguei fora a raiva e o rancor nas flores murchas guardadas num livro que não li.
Peguei meus sorrisos futuros e alegrias pretendidas e as coloquei num cantinho, bem arrumadinhas.
Fiquei sem paciência! Tirei tudo de dentro do armário e fui jogando no chão: paixões escondidas, desejos reprimidos, palavras horríveis que nunca queria ter dito, mágoas de um amigo, lembranças de um dia triste...
Mas lá havia outras coisas... belas!!! Uma lua cor de prata...o choro de meus filhos ao nascerem seus primeiros passos, os abraços.... aquela gargalhada no cinema, o primeiro beijo..... o pôr do sol.... uma noite de amor...
Encantada e me distraindo, fiquei olhando aquelas lembranças.
Sentei no chão, joguei direto no saco de lixo os restos de um amor que me magoou.
Peguei as palavras de raiva e de dor que estavam na prateleira de cima - pois quase não as uso - e também joguei fora!
Outras coisas que ainda me magoam, coloquei num canto para depois ver o que fazer, se as esqueço ou se vão pro lixo.
Revirei aquela gaveta onde se guarda tudo de importante: amor, alegria, sorrisos, fé...
Como foi bom!!!
Recolhi com carinho o amor encontrado, dobrei direitinho os desejos, perfumei a esperança, passei um paninho nas minhas metas e deixei-as à mostra.
Coloquei nas gavetas de baixo lembranças da infância; em cima, as de minha juventude, e... pendurado bem à minha frente, coloquei a minha capacidade de amar... e de recomeçar...

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Vídeos de alunos sobre o Carbono Zero / Carbono Neutro



Pessoal, este é o trabalho dos alunos do curso de EVENTOS, sobre o carbono zero, tema que tenho discutido por aqui.
Prestigie:

video



video

Seguem links de vídeos interessantes sobre o tema, postados indicados pelos alunos:

quinta-feira, 29 de março de 2012

Carbono Zero, o que é???

Vejam este site para saber mais: http://www.carbono-zero.com/artigo.php?mid=23101110


O que é CarbonoZero®?

Já se imaginou a assistir a um concerto ou a ler um livro, enquanto contribui para a proteção do clima? E no seu local de trabalho ou em viagem, sabendo que está a apoiar projetos com elevados benefícios ambientais e sociais?



Todos nós, indivíduos e empresas, contribuímos para o fenômeno do aquecimento global: com a energia que consumimos em casa, nos edifícios de escritórios e nos processos produtivos; com as nossas opções de transporte, com os resíduos que geramos…


Combater as alterações climáticas significa reduzir emissões de gases com efeito de estufa. Uma responsabilidade de todos que pode e deve ser assumida de forma voluntária. CarbonoZero é o instrumento que permite a cidadãos e empresas concretizar esta responsabilidade.


Lançado em 2005, CarbonoZero® é a marca de referência do mercado voluntário de carbono em Portugal.

Líder em inovação, CarbonoZero disponibilizou as primeiras calculadoras de carbono on-line nacionais e foi o primeiro instrumento do mercado voluntário Português a assumir a verificação externa independente de todo o seu funcionamento e a publicar os respectivos resultados.

Até ao final de 2008, já compensamos mais de

20 000 t de CO2e, para mais de 100 clientes, 

incluindo projetos de grande dimensão como Rock in Rio Lisboa e Madrid, Expresso ou Assinatura do Tratado de Lisboa.

O trabalho de criatividade dos suportes de comunicação desenvolvidos para o lançamento do CarbonoZero foi premiado na terceira edição dos International Business Awards (IBA), na categoria de Mixed Media – Melhor Campanha. Os IBA são considerados pelo New York Post como “os Óscares do mundo empresarial” e são o único prêmio global que distingue a excelência no desempenho corporativo.

OBS: este texto é o mesmo do site, mas para facilitar a leitura algumas palavras foram adequadas à norma linguística atual.

sábado, 10 de março de 2012

Você sabe o que é marketing viral?

Marketing viral é uma forma de promoção com base na livre circulação de ideias através do  boca a boca. Quando você gosta de algo, é da sua natureza compartilhar sua descoberta com alguém que gosta. Seja um amigo, parente ou colega de trabalho, você tem esse impulso de compartilhar uma coisa legal que descobriu com outra pessoa. E por sua vez, as pessoas com quem você compartilha, farão o mesmo com sua rede de amigos. Isso é o que "viral" quer dizer.
Do ponto de vista do marketing "viral", é fascinante por uma série de razões:
Distribuição: Um conteúdo viral se espalha como um vírus, em um loop constante de expansão que pode nunca acabar. Para o marketing online, espalhar o conteúdo infinitamente de pessoa a pessoa representa uma estratégia para promover o conteúdo de uma fração de esforço e os custos exigidos pelas técnicas tradicionais de marketing.
Alcance: Uma campanha de marketing viral bem sucedida pode aumentar exponencialmente o alcance de suas comunicações, colocando você em contato com milhares de possibilidades que, com sua abordagem de comunicação tradicional, não conseguiria acessar.
Consciência: Quanto mais as pessoas vejam o seu conteúdo, mais saberão quem você é, o que você faz, o que pode oferecer aos seus clientes. Não apenas isso: com o compartilhamento de conteúdo de um tópico específico, você se torna uma autoridade no assunto e as pessoas começam a te procurar naturalmente pedindo conselhos e recomendações.
Custo: O marketing viral é relativamente barato porque você não tem que planejar um orçamento enorme para promover seus produtos ou iniciar campanhas que atendam às necessidades de todos os seus clientes em potencial. Assim que o seu conteúdo começar a se espalhar de modo viral, seus fãs se tornarão seus melhores agentes de marketing.
Fonte:http://www.masternewmedia.com.br/2010/07/17/o_que_e_marketing_viral_principios_e.htm


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Quem consegue traçar um paralelo?

Pessoal, encontrei este texto e o achei muito interessante, uma vez que nos diz muito sobre o pensamento do brasileiro.
Lanço um desafio... Qum conegue estabelecer um paralelo entre as ideias nele contidas?
As fontes do objeto desta postagem estão no final.

Um abraço e... boa reflexão:

Bicicleta no futebol e na ciência!
por Sérgio Mascarenhas
http://143.107.180.237/cluster/index.ph./news_site/revista/textos/artigos/ciencia_futebol

Um paralelo muito instrutivo é o da análise entre o futebol e a ciência no Brasil. Muitos se perguntam por que o futebol brasileiro é pentacampeão mundial, produz seguidamente astros mundiais como Pelé, Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Zico e tantos outros que fazem do Brasil um celeiro de craques. Todos “produtos de exportação de alto valor agregado”, ”portadores de futuro da alta tecnologia futebolística“. Isto é demonstrado pela contratação de vários técnicos brasileiros por outros países para a disputa do mundial de 2006. Por que, então, em ciência, tecnologia e inovação, embora tenhamos grandes valores de alto padrão internacional, não temos ainda nenhum Prêmio Nobel ou um Fields Prize (o Nobel da Matemática)?


A explicação é fácil: a infância, a juventude e a população em geral, fazem parte atuante da cultura futebolística. O número de campos de “peladas” é enorme. Todo garoto, pobre ou rico (mais pobres que ricos), é altamente motivado, social e culturalmente, para a prática do futebol, isto quase que espontaneamente, graças ao fato de que o futebol (mas não a ciência!) é uma cultura popular que impregna de maneira sustentável a sociedade.

Continuidade e sustentabilidade são fatores fundamentais para a quantidade com qualidade. Os investimentos em grandes estádios, os campeonatos municipais, estaduais, nacionais e internacionais são fortemente divulgados na mídia de maneira contínua, agitada e atraente. Os clubes (verdadeiras “escolas”) têm incubadoras para garantir valores jovens, “olheiros” para contratar talentos e para aprender como jogam os futuros competidores, técnicos, fisioterapeutas, médicos e até psicólogos.

Toda essa “cadeia produtiva” do futebol brasileiro não tem paralelo na ciência e tecnologia. Ciência, tecnologia e inovação ainda não fazem parte da cultura brasileira, onde não temos laboratórios nas escolas públicas (ou, se os temos, são pouco usados) nem professores de ciências bem formados e, sobretudo, bem pagos e com o prestigio social adequado (o que é muito importante!).

Igualmente fundamental é o deus capitalista: Mercado! Isto é, enquanto as cadeias produtivas futebolísticas têm um fortíssimo mercado de bilhões de euros, dólares e yens, isso não acontece com o Brasil, que exporta milhões de toneladas de commodities, quando também deveria exportar miligramas e nanogramas com alto valor agregado de conhecimentos.

No entanto, no que tange ciência, tecnologia e inovação, o Brasil já provou que pode ter não só os seus “pelés” (Prêmios Nobel) como também grandes times (escolas científicas), grandes líderes (cientistas nucleadores e formadores de escolas e tradições sustentáveis) e principalmente geradores de centros emergentes para “florestar” o Brasil com talentos e “campos de várzea de ciências” (laboratórios escolares, feiras de ciências, olimpíadas, livros e divulgação científica através de museus e centros como preconizados pelos grandes José Reis, Crodowaldo Pavan e Isaias Raw).

Com isso criaríamos não apenas “sequóias” (grandes laboratórios multidisciplinares e grandes redes temáticas) mas florestaríamos também o país com centros pequenos e médios, verdadeiras incubadoras de talentos. OCNPq, a CAPES, a FINEP, a EMBRAPA e a FAPESP são magníficos exemplos de ações que podem e devem ser feitas. O atual ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Machado Rezende, e o atual Presidente da Embrapa, Silvio Crestana, são exemplos de padrão internacional que nuclearam, cresceram e construíram ciência, tecnologia e inovação, estimulando e apoiando talentos pioneiramente.

Mas, como o Brasil é o “País da Esperança”, lembro também Anísio Teixeira, com quem tive a honra de trabalhar, e que me dizia com aquele brilho de sonhador no olhar: “Ainda vamos ter o Maracanã lotado para Educação e Ciência”. Ou as palavras do Prêmio Nobel Abdus Salam, com quem também trabalhei em Trieste, na Academia de Ciências do Terceiro Mundo: “Nações sem Ciência e Tecnologia estão fadadas ao subdesenvolvimento”.

Para encontrar “pelés” da Ciência precisamos buscá-los nas favelas, nas várzeas, entre ricos e pobres, nas ruas e nos condomínios de luxo, e então teremos não apenas nossos almejados Prêmios Nobel, mas um Brasil mais justo e desenvolvido! Aproveito para agradecer a Pelé pelo carinho com que recebeu minha composição “Pelé: o gol do século”, editada pelo Estúdio Berimbau, de São Carlos (SP), e que pode ser ouvida livremente no link: http://www.berimbauestudio.com.br/goldoseculo, e à Graziela de Castro Malagutti, pela idéia da “bicicleta” como ilustração.



E ai? Alguma relação entre as palavras: pelé, gol, bicicleta, ciência???
Eu vejo todas... mas deixo você pensar.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

UM CASO TÍPICO DE FALHA NA COMUNICAÇÃO

Olá pessoal, Tudo bem com vocês?

Espero que sim!!!! Pois o semestre apenas começou, temos que estar super motivados...

E por falar nisto, um aluno, chamado Nícolas, da Engenharia Mecânica, depois de uma aula sobre Ruídos de Comunicação, enviou por e-mail um pequeno texto que traduz a velha expressão:

"Quem conta um conto, aumenta um ponto".

Vamos conferir e dar algumas risadas? Afinal, é sexta-feira....
Boa Leitura!

____________________
De: Diretor-Presidente

Para: Gerente


   Na próxima sexta feira, aproximadamente às 17 h, o cometa Halley estará nesta área. Trata-se de um evento que ocorre somente a cada 78 anos. Assim, por favor, reúnam os funcionários no pátio da fábrica, todos usando capacete de segurança, quando explicarei o fenômeno a eles. Se estiver chovendo, não poderemos ver o raro espetáculo a olho nu. Sendo assim, todos deverão se dirigir ao refeitório, onde será exibido um documentário sobre o cometa Halley.
_________________
De:Gerente
Para: Supervisor


   Por ordem do Diretor-Presidente, na sexta feira às 17h o cometa Halley vai aparecer sobre a fábrica. Se chover, por favor, reúna os funcionários, todos usando capacete de segurança, e os encaminhe ao refeitório onde o raro fenômeno terá lugar, o que acontece a cada 78 anos, a olho nu.
______________________
De: Supervisor
Para: Chefe de Produção



   A convite do nosso querido Diretor, o cientista Halley, 78 anos, vai aparecer nu no refeitório da fabrica usando capacete, pois vai ser apresentado um filme sobre o problema da segurança na chuva. O Diretor levará a demonstração para o pátio da fabrica.
____________________
De: Chefe de Produção
Para: Mestre


   Na sexta feira, às 17h, o Diretor, pela 1ª vez em 78 anos vai aparecer no refeitório da fábrica para filmar o Halley nu, o cientista famoso e sua equipe. Todo mundo deve estar lá de capacete, pois vai ser apresentado um show sobre a segurança na chuva. O Diretor levará a banda para o pátio da fábrica.
_________________
De: Mestre
Para: Funcionário


   Todo mundo nu, sem exceção, deve estar com os seguranças no pátio da fábrica na próxima sexta feira às 17h, pois o manda chuva (o Diretor) e o senhor Halley, guitarrista famoso estarão lá para mostrar o raro filme “Dançando na Chuva”. Mesmo que comece a chover, a ordem é para ir para o refeitório de capacete na mesma hora. O show será lá, o que acontece a cada 78 anos.


                                                                        **********
AVISO PARA TODOS NO MURAL DA FÁBRICA

   Na sexta feira o Presidente fará 78 anos e liberou geral para a festa às 17h no refeitório. Vão estar lá Bill Halley e Seus Cometas. Todo mundo deve estar nu e de capacete porque a banda é muito louca e o rock vai rolar solto no pátio mesmo com a chuva.

                                                                        **********

Aiaiaiaiai................ Acho que algumas pessoas foram demitidas.....
Comunicação não é brinquedo....
Este texto foi ótimo para revisar a questão do Ruído de Comunicação....
Até a próxima!!